Reunião do Comando de Greve dos Estudantes – 30/08/12 (Relatoria)

1.Informes;

2.Avaliação;

3. Calendário

 

Informes:

Marina: informa que está com a planta do ponto de distribuição que será instalado na FACED, mas que passará ainda pela congregação da unidade no dia 10.09. Marcada reunião com Luiz Rogerio na reitoria às 9h. A UFPR votou contra a EBSERH. Conversa com Daniel diretor de Teatro que, provavelmente, votará contra a EBSERH. A proposta a ser apresentada é que o CONSUNI da EBSERH ocorra em outubro ou novembro. Reunião para debater com o diretor da FFCH para marcar a congregação para o dia 05.09 para tirar posicionamento sobre a EBSERH. A assembleia docente encaminhou para o CNG a proposta de encerrar a greve nacional no dia 05.09, ou seja, na próxima assembleia. Reunião dos três setores debateu as pautas prioritárias tiradas, informes e o debate sobre a articulação contra a EBSERH.

Sara: GT de ebserh ocorreu com o debate com a prof Cristina Melo. A prof sugeriu elaborar um documento preliminar assinado pelos três comandos. Organizar debates sobre: “formas de gestão e contratos de trabalho”, “legislação básica” e “problemas atuais dos H.U.s”. Após a saída da prof, ficou o indicativo para o dia 13 de setembro para um espaço de formação com debates e oficinas, sendo de cada oficina tirar GTs para debater os temas acima propostos. O FAS ocorrerá na terça, 13h30, em enfermagem.

Marina: na reunião dos três setores começou a se pensar um fórum permanente das três categorias e encaminhou-se uma nota sobre a importância de se garantir o debate sobre a EBSERH.

Vitor: apresenta uma correção de informação dado na reunião do comando anterior: não existe a informação oficial de que vai ocorrer a construção de um prédio da EDUFBA no SAF.

Yan: Informa que foi proposto um sistema de museus a ser instalado no SAF que, inclusive, será discutido amanhã na Congregação do IBIO.

Josias: Aconteceu uma aula pública com Graça Druck na FACED o GT Reuni UFBA. Foi proposto um grupo de pesquisa na UFBA sobre como se deu a implementação do REUNI na universidade. O próximo ocorrerá na quinta-feira, às 14h, na APUB.

Vitor: A comissão de calendário se reuniu e discutiu que o mesmo deverá ser elaborado a partir dos entendimentos sobre o fim da greve. A ideia é um ciclo de debates sobre a greve e a proposta de uma linha do tempo da greve, por exemplo, na mesa do DCE. Realizar um espaço pós-greve para debater também a EBSERH. Organizar passadas em sala na matrícula e construir cartazes pela universidade para demonstrar aos estudantes o que de fato aconteceu durante a greve. Mutirão “Saldo da Greve”. Organizar um encerramento político da greve e posteriormente um ato no dia seguinte, por exemplo.

Elen Rebeca: informa que o programa de cotas para as IFES foi sancionado ontem pela Presidente Dilma. Vitória dos movimentos reivindicatórios.

Ian: foi aprovado o Plano Nacional de Agroecologia e produção orgânica que foi sancionado no dia 20 de agosto, pela Presidente Dilma Roussef.

André: fóruns inter D.As na Politécnica nesta sexta. Debater a proposta do diretor de transferir os D.A.s para uma área precária da Escola.

Ruan: informa que a UFPR conseguiu “barrar” a EBSERH.

Thiago: das 43 universidades que possuem hospitais, apenas 10 aprovaram a EBSERH.

Avaliação:

Leitura da nota sobre os momentos decisivos para a greve: consensual.

André: fazer uma nota com os pontos de pautas que foram tiradas nas reuniões do comando como prioritários e suas respectivas respostas.

Vitor: a comissão vai se reunir para debater melhor o calendário acadêmico. Vai tentar marcar ainda, mas existe a proposta da segunda feira pela tarde.

Vitor: avaliação da greve. Ocorreu um saldo de duas assembleias que foram desmarcadas e isso é ruim para o movimento. A vigília também n ocorreu na última semana, por exemplo. Existe um sentimento de desorientação para a continuidade da greve. O m.e tem autonomia para definir os seus próprios rumos durante a greve, muito embora não precise ser amarrado diretamente com os professores. Precisamos sair da greve na próxima semana, desde que possamos fazer um balanço positivo de todo o processo politizando, inclusive, a saída. Agitar as redes sociais para preparar o fim de greve, mostrando como foi o andamento e a construção da greve.

Marina: avalia que após a ocupação da fapex a greve enfraqueceu. Que o movimento estudantil segurou a greve, por conta dos professores. Manter o fórum permanente. Concorda que devemos sair da greve no meio da próxima semana.

Elen: existe acordo sobre a finalização da greve pelas dificuldades de mobilização considerando, entretanto, as vitórias da greve. Não existem problemas em sair da greve antes dos professores, desde que o apoio aos docentes seja mantido. Assembleia não deve ocorrer por conta do não comparecimento e dificuldade objetivas quanto ao quórum. O CEB é um espaço que pode ser utilizada para isso.

Josias: importante avaliar considerando a conjuntura nacional. Um dos elementos decisivos foi a articulação entre os setores em greve, entre os trabalhadores da educação e logo em seguida com o conjunto do funcionalismo público. A intransigência do governo, por exemplo, o levou a proceder na elaboração de um decreto anti-greve o que demonstra, todavia, a força do movimento paredista em enfrentar todo esse processo forçando o governo a negociar. Diante disso, a greve foi vitoriosa de modo que alguns setores conseguiram algum tipo de reajuste. Foi importante que o movimento estudantil aguentou mesmo com o esvaziamento depois de quase três meses, mas é importante que sinalize também uma saída conjunta para expressar a força da greve.

Vitor: sobre o espaço político para saída o mais representativo seria o CEB. O CEB representa o conjunto dos diretórios e centros acadêmicos da UFBA. Anexar o encerramento com um ato político. Fazer os vídeos, construir a nota de encerramento e as respostas de cada ponto de pauta.

Fernanda: reforça a ideia de que temos q sair em conjunto com os docentes.

Josias: considera que era importante tentar convocar uma outra assembleia para debater a avaliação, mesmo sabendo que não haverá quórum.

Thiago: reforça o entendimento de que o CEB é importante para debater a avaliação da greve. Considera que o CEB poderia suprir tendo em vista que duas assembleias foram convocadas com o ponto avaliação e poucos mais de 20 pessoas compareceram. Seria muito ruim convocar outra assembleia e não atingir o quórum.

Wanderson Pimenta: tenho acordo com a maioria das falas. Tivemos preocupação na unidade dos três setores. Capitaneamos isso. Estamos sintonizados com o resto da ufba e com os docentes,assim como estávamos com os técnicos. Por isso, inclusive, apontamos a saída da greve. Assim como os docentes o fazem.saldo positivo da greve. Analisar friamente nossa situação. Cng estudantil debateou com mec sobre 2 bilhoes para assistência estudantil. Documento indicava unidade com os outros setores em greve.acertamos em ocupar e erramos na vigília. O indicativo lucido de saída da greve na próxima semana , no ceb.fazer o debate com muita tranquilidade.o ideal eh que saíssemos da greve numa assembleia, mas a situação ta complicada,números de pessoas nas assembleias é pífia. Ceb é o espaço que temos como mobilizar para a discussão sobre os rumos da greve.marcar ceb em arquitetura. Entretanto, é importante que seja no dce.  Unb deliberou pela greve em um ceb.

André: não consegue entender como a gente não consegue mobilizar para uma próxima assembleia de estudantes.

Fernanda: construir o que colocar no blog do comando. Vamos conscientizar os estudantes saber o que a gente coloca no blog, para tentar sensibilizar os estudantes a comparecer nos espaços deliberativos. Se a gente conseguir explicar o que a gente vai fazer em cada atividade, podemos conseguir mobilizar os estudantes. A conscientização vai trazer os estudantes para os espaços.

Vitor: alguns setores são contrários à greve e tentaram desconstruir. Os mesmos virão aos espaços de encerramento para tentar legitimar os seus posicionamentos, o que é normal. Importante a gente construir esse espaço deliberativo, tendo em vista a impossibilidade do quórum.

Ian: foi contemplado pela análise anterior. Entretanto, enfatiza que a assembleia é fundamental mas a conjuntura demonstra a impossibilidade da mesma.

Calendário:

-Mutirão do saf mudou de horário p 14h;

– Oficina de cartazes 15h no dce;

– Reunião inter d.a.s na Poli;

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s